brasão do exércitoEm todas as nações, existem determinados comandos civis ou militares que protegem e auxiliam a população dos países.

O Exército Brasileiro é conhecido em todo o mundo como um dos exércitos mais presentes dentro de seu país e que fornece ajuda a outras nações, sem obtenção de lucro ou benefícios.

A história e tudo o que essa organização militar representa - enaltecem ainda mais sua força e grandiosidade, simbolizando um exemplo de patriotismo. Todos os momentos vividos dentro das forças armadas representam uma importantíssima fase de amadurecimento e aprendizado, transformando homens, mulheres e adolescentes em verdadeiros cidadãos.

Hoje, milhares de jovens enxergam a oportunidade de entrar para o Exército Brasileiro com a intenção de seguir carreira nas forças armadas e, para muitos, isso pode ser uma grande chance de ter um trabalho digno e com possibilidade real de sustentar suas famílias.

A disciplina, a lealdade, o patriotismo, entre outros, são os valores passados e ensinados, transfomando vidas e gerando bons cidadãos em qualquer nível de patente dentro das forças armadas.

A dignidade e os valores humanos são enaltecidos a todo instante pelos homens do Exército e dessa forma, eles nos ajudam a construir um país melhor. Lembre-se da importância de cuidar e repeitar não somente a nossa bandeira, mas também o que sugerem as cores nela colocadas, o meio ambiente e todas as pessoas com quem convivemos.

Conheça mais a fundo a história de homens que juntos, tentam mudar e dar mais dignidade a nossa nação: o que significa o alistamento militar, o que são e quais são as missões de paz, entenda mais um pouco sobre as organizações, e tantas outras curiosidades desta grande escola que é o Exército Brasileiro.

Fortes Históricos

Forte de São Luiz

Sua construção remonta a 1567, com o estabelecimento de um posto de vigilância. A construção do Forte só se iniciou em 1770, por ordem do Marquês do Lavradio. As obras foram terminadas em 1918. Seu principal atrativo é a vista incomum do Rio de Janeiro e da Baía de Guanabara.

Forte de Copacabana

Em uma área total de 114.169 m², o Forte de Copacabana foi inaugurado em 1914, sendo então considerado a mais moderna praça de guerra da América do Sul. Construído em forma de casamata, com 40.000 m² de área e 12 m de espessura em suas paredes externas, o Forte contava com canhões alemães da marca Krupp, alojados em cúpulas encouraçadas canhão históricoe móveis. Hoje, abriga o Museu Histórico do Exército, aberto diariamente à visitação pública.

Forte do Vigia – Fortaleza Duque de Caxias

Privilegiado com a mais bela vista da entrada da baía de Guanabara e da praia de Copacabana, o Forte do Leme oferece aos seus visitantes uma suave caminhada ecológica de 800 metros através da Área de Proteção Ambiental do Leme, onde o contato com a natureza, o ar puro, a fauna e a flora exuberante tornam o passeio ainda melhor.

Forte do Imbuhy

Com 2.400m² de área construída, o Forte do Imbuhy teve sua edificação iniciada em 1863. Sua função inicial foi a de ligar-se aos outros fortes de área, para proteger a entrada da Baía de Guanabara. Em 1877, as obras foram paralisadas e só a partir de 1894 reativadas, com a decisão de dotá-lo com uma cúpula encouraçada, armada com dois canhões, além de duas torres com canhões de tiro rápido da marca Krupp. Hoje, o Forte passa por reformas visando permitir melhor acesso ao público. Seu maior destaque é o mirante que oferece uma bela vista do Rio de Janeiro.

Forte de São João

Erguido por Estácio de Sá, fundador da cidade do Rio de Janeiro, em 1565. Foi ampliado e reformado ao longo do tempo e entrou novamente em serviço em 1618, constituída por quatro baterias: São José, São Martinho, São Teodósio e São Diogo. Atualmente, funciona o Centro de Capacitação Física e a Escola Superior de Guerra. São oferecidas visitas guiadas para grupos, aos sábados e domingos.

Fortaleza de Santa Cruz

Em 1555, Villegaignon improvisou uma fortificação para a defesa da entrada da Baía de Guanabara. Mem de Sá tomou-a e dois anos mais tarde foi ampliada, recebendo o nome de “N. Sra da Guia”, origem da Fortaleza de Santa Cruz. Com uma área construída de 7.153 m², passou por reformas e teve seu poder de fogo ampliado por ordem do Vice-Rei Conde de Cunha, visando proteger o embarque do ouro de Minas Gerais, feito no Porto do Rio de Janeiro. Foi responsável pela defesa contra os ataques de franceses e holandeses.